quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Banoffee



Banana e doce de leite tem como dar errado?! Comi essa torta há um tempão feita pela minha amiga Mane, ela quem sempre traz novidades gastronômicas para nossos encontros. Dessa vez, em minha visita à Salvador optamos pela praticidade e fomos a um restaurante, mas fiquei com tanta vontade dos quitutes de Mane, que quando cheguei fui fazer Banoffee. Aproveitei que pai e mãe estavam aqui pra dividir a culpa e foi sucesso!

Faz aí, é facinho e vale muito a pena!

Banoffee

Massa

200g de bolacha maizena
100g de manteiga em temperatura ambiente

Recheio 1

300g de doce de leite


Recheio 2

4 bananas maduras em rodelas

Cobertura

200g de creme de leite fresco
2 colheres de sopa de açúcar

Como eu fiz

Triturei os biscoitos, misturei com a manteiga até que estivesse com a consistência de areia molhada, forrei os fundos e a lateral de uma forma, e levei a massa para assar por 10 minutos.
Quando a massa esfriou, coloquei o doce de leite, por cima do doce coloquei as bananas.
Bati o creme de leite e o açúcar em ponto de chantily e cobri as bananas. Levei para gelar e pronto!

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Rigatone recheado

Chegamos de viagem eu, Marido, Pai e Mãe, de uma vez só e sem a mínima vontade de sair. Marido depois de 20 dias fora só queria comida de verdade e casa! Fui para a cozinha, cozinhei a massa na metade do tempo recomendado pela embalagem, esperei esfriar. Enquanto isso fiz rolinhos com fatias de queijo e presunto, cortei ao meio e recheei cada rigatone (não levou muito tempo, nem foi difícil, juro) e fui colocando em uma travessa untada com azeite. Quando terminei, cobri com o molho a bolonhesa que já postei aqui, ralei queijo parmesão por cima, e levei ao forno por mais 15 minutinhos.
Ficou o que há!!


Mochila companheira e comprinhas de viagem ao fundo!

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Bolinho de Chuva


Poucas coisas são tão casa de mãe (pelo menos da minha), quanto bolinhos de chuva. Lembro bem que ela os fazia com moldes antigos de borboleta muitas vezes, em outras eram os bolinhos redondinhos que animavam nossas tardes. As vezes penso que bolinhos de chuva são como panquecas, torta de liquidificador, arroz de forno e outras comidinhas que se perdem no tempo e ninguém mais faz. Ou gourmetizam e a gente perde a referência da comidinha de verdade, simples e saborosa.

Outro dia lembrei dos bolinhos e saudosa fiz para o Marido, ele pensava não gostar do bolinho e amou. Em visita à irmã fiz bolinhos para o sobrinho, que os chamou de "bolinhos de nuvem" e comeu tudo. Passando uns dias na casa da minha mãe fiz esses para ela, que me ensinou a fazer e adora bolinhos de chuva. Comida é carinho!

Bolinhos de chuva

1 e 3/4 de xícara de farinha de trigo
2/3 de xícara de açúcar
1/2 xícara de leite
1 ovo
1 colher de chá de fermento em pó
1 pitada de sal

óleo para fritar
açúcar e canela para povilhar

Opcionais
1 pitada de noz moscada, ou
Raspas de laranja ou limão

Misture todos os ingredientes, aqueça o óleo. Quando o óleo estiver quente, retire um pouco da massa com uma colher de sobremesa, com a ajuda de outra colher, com cuidado despeje uma pequena porção da massa no óleo, frite até dourar. Repita a operação com o restante da massa. Passe os bolinhos fritos no açúcar com canela, passe um café e seja feliz!

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Sorvete de Chocolate



Gosto de ler blogs de comida há muito tempo, e o Prato Fundo é um dos que leio há anos. Dia desses estava aqui maldizendo esse calor senegalês, quando vejo um sorvete de kit kat no blog do Vitor. Tinha acompanhado sua saga atras do sorvete nos supermercados, e como não encontrou, fez o dele.

Encontrei creme de leite fresco no supermercado mais improvável possível, e mais, estava mais barato! Comprei 2 litros, na racionalidade, porque o primeiro impulso foi o de colocar 4 litros no carrinho.
Já fiz iogurte, mais pana cotta (que segundo o marido é sim a sua sobremesa favorita) e achei que o sorvete era um bom destino para mais creme de leite. Mas... imaginei que o Marido ia reclamar do chocolate ter amolecido em contato com o creme. Então substituí o kit kat por raspas de chocolate e achei que tinha encontrado a solução. Pra mim o sorvete ficou sensacional, de verdade! Mas o marido não gosta de chantilly, e eu vivo tentando enganá-lo. Consigo enganar com muita coisa, mas com bolos feitos com óleo e creme de leite batido, não tem jeito, ele descobre e não gosta mesmo! Mas se você, como eu, não tem problemas com isso, se joga! Fica muito bom! E da próxima vez vou fazer igualzinho ao Vitor, com kit kat e tudo, já que vou comer sozinha mesmo!

Receita original aqui e como eu fiz abaixo:

Sorvete de Chocolate

Ingredientes

50g chocolate em pó (50% cacau)
50mL água quente
125g chocolate ao leite derretido
300g creme de leite “fresco” (pasteurizado) gelado (tenha mais que 35% gordura)

Modo

Numa tigela misturar chocolate em pó e água quente. Misturar bem para dissolver. Reservar 5 minutos.
Enquanto espera: derreter o chocolate ao leite no micro-ondas ou no banho-maria.
Misturar o leite condensado no chocolate dissolvido, misture.
Na sequência, chocolate derretido e misture bem. A mistura não pode estar quente, caso esteja, esperar 10 minutos ou até que esfrie.
Bater o creme de leite em ponto de chantilly firme.
Coloque a mistura de chocolate sobre o chantilly e misture bem.
Transfira para um recipiente com tampa.
Levar ao congelador por 06 horas no mínimo.

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Pseudo Bolonhesa - Comidinha salvadora e honesta!



Marleide trabalha aqui em casa há anos, ano passado resolveu que compraria uma moto. Depois de uns seis meses de utilização do veículo, quando o nosso medo que ela se acidentasse já tinha passado, recebemos uma ligação para avisar que ela tinha batido em um ônibus. Oi?! Graças a Deus foram ferimentos leves e em uma semana ela estava recuperada e andando de moto novamente. Na semana passada, ela saiu rapidinho para ir ao banco e...
Sim, outro acidente. O carro bateu na moto e fugiu, FUGIU! Deixou a criatura caída sozinha no meio da rua, e graças a Deus só com ferimentos leves.Ela precisou de um período de repouso e eu de uma saída rápida para o almoço.

Sempre faço esse molhinho e cozinho uma massa. Marido ama, e ficamos com a sensação de comida de casa. Não é um bolonhesa tradicional, mas resolve aqui em casa e vira molho para lasanha, vira recheio de pão francês (pão jacó aqui em Aracaju e pão cacetinho em Salvador), congelo por três meses e tenho sempre um curinga quando preciso.

Molho bolonhesa que salva

500g de carne moída (uso patinho)
1 colher (sopa) de manteiga
1 colher (sopa) de azeite de oliva
2 cebolas pequenas
1 dente de alho
1 folha de louro
2 latas de tomate pelado, ou 500g de tomate sem pele e sem semente
Sal e pimenta do reino

Aqueça a manteiga e o azeite, junte a cebola e o alho, o sal e a pimenta e deixe refogar um pouco. Junte a carne e vá mexendo até que esteja bem soltinha. Junte o tomate. Se estiver usando o tomate pelado "lave" as latas com um pouco de água filtrada. Se estiver usando o tomate junte 300ml de água filtrada. Acrescente a folha e louro, abaixe o fogo. Deixe fervendo em fogo baixo, por cerca de 30 minutos e pronto!

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Bolo de banana o fim da saga do iogurte... por hora!


Encerrando a semana do iogurte :P fiz um bolo classicão, que ficou especial com o iogurte maravilhoso e bananas muito maduras que precisavam de um rumo na vida!

O bolo de farinha de trigo (bolo de ovo, bolo de nada, aquele bolinho de tomar café) da minha mãe é o melhor que já comi na vida. Eu tenho a recita, já a vi fazendo mil vezes, já fiz com ela, e o meu não fica igual, não tem jeito. Dito isso tenho que dizer que esse bolo ficou como os da minha mãe, fofinho, sem ser muito doce, macio molhadinho. Na primeira garfada lembrei da minha mãe e senti saudades dela, que passou o segundo semestre do ano passado vindo aqui em Aracaju todo mês. Vinha me ver e cuidar um pouquinho de mim. Sempre que ela vinha fazia esse bolinho quando chegava e antes de voltar à Salvador fazia outro, e deixava um gostinho de saudade. Tenho que dizer que ela é muito puxa saco do Marido e às vezes eu tinha que pedir mais de uma vez para ela fazer o bolo, mas bastava o Marido elogiar o bolo e ela já corria pra fazer. #ciumemodeon

Segundo minha mãe a receita é de um bolo comum, com leite no lugar do iogurte, e tudo mudou quando num dia em que ela não tinha leite, tinha iogurte em casa, e fez a substituição. O fato é que o bolo simples dela é sucesso por onde passa e agora eu divido a receita aqui, mas tenho que dizer, sucesso mesmo eu só consegui usando o iogurte maravilhoso caseiro que já dei a receita aqui.

Tinha três bananas super maduras que fatiei e coloquei intercalando com a massa do bolo, polvilhei um pouco de açúcar demerara em cima da massa antes de levar para assar e lembrei de um bolinho assim que comia na casa da minha madrinha.

Segue a receita:

Bolo de Farinha de Trigo

(todos os ingredientes devem estar em temperatura ambiente)

2 xícaras (chá) de farinha de trigo

1 e 2/3 xícaras (chá) de açúcar

4 ovos

1 xícara (chá) de iogurte

1 colher (sopa) de fermento


Eu:
Na batedeira misturo a manteiga e o açúcar até virar um creme clarinho, coloco os ovos inteiros, um a um, batendo bem a cada adição. Desligo a batedeira adiciono a farinha, o fermento e o iogurte e bato em velocidade baixa só até misturar, não bata muito. Coloco para assar em forma untada e povilhada, em forno pré aquecido a 180graus, por mais ou menos 30 minutos.

Minha mãe:

Na batedeira ela bate as claras em neve, reserva. Depois mistura a manteiga e o açúcar até virar um creme clarinho, coloca as gemas, uma a uma, batendo bem a cada adição. Desliga a batedeira adiciona a farinhae o iogurte e bate em velocidade baixa só até misturar, junta o fermento e por fim as claras em neve, misturando com uma espátula. Coloca para assar em forma untada e povilhada, em forno pré aquecido a 180graus, por mais ou menos 30 minutos.

Aí você vai me dizer: AH! Luciana você faz diferente, como queria que ficasse igual?!
Em minha defesa eu vou dizer que já tentei de tudo, já fiz do mesmo jeito, já fiz diferente e o resultado era sempre o mesmo, então desenvolvi o meu método e com o iogurte maravilhoso, mesmo fazendo do meu jeito, ficou PERFEITO!

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Labneh


Seguindo a saga do iogurte, fiz labneh.

Faço muito esse queijinho,sempre fiz com iogurte comprado pronto, porque os caseiros eram sempre muito líquidos. Porém depois desse iogurte maravilhoso, não há mais sentido! O labneh que fiz com o iogurte caseiro ficou muito mais saboroso e suave que qualquer outro que já fiz.

Para fazê-lo separei 2 xícaras (chá) do iogurte e misturei com 1/2 colher (chá) de sal. Uso um coador de café grande e dois filtros de papel. Coloco a mistura dentro do coador e o coador dentro de um bowl que contenha o soro que vai escorrer, cubro com um plástico e levo à geladeira. A cada 24 horas recolho o soro que se formou, depois de 72h o queijo está pronto. Você pode fazer bolinhas (usando duas colheres de chá) e colocar em um potinho com azeite e ervas, ou comer purinho, ou colocar azeite e temperinhos na hora de servir. É muito bom!

P.S. Esse da foto ficou 36h na geladeira, as bolinhas não ficaram tão firmes, mas ficaram deliciosas!

Iogurte, um mundo de iogurte




Sigo 2017 tentando emagrecer, dessa vez com acompanhamento de uma nutricionista. Eu gosto dela, de verdade, embora não confie que uma pessoa magra desde que nasceu saiba a necessidade que tenho de um docinho depois do almoço, ou o que é comer chocolate até perceber que o pacote acabou... Tenho tentado seguir o que ela me prescreveu, até porque ela tem sido super bacana e o roteiro alimentar é perfeitamente "seguivel". A não ser quando saio de casa. Basta bater a porta de casa e eu desligo mentalmente o botão controle, e isso atrapalha um pouco. Outro dia mesmo comi um alfajor do tamanho da minha cara. Aí fica difícil!
Mas quando estou em casa, tento seguir direitinho. Marido nem tá fazendo a reeducação, mas descobriu as frutas (que em temperatura ambiente ficam mais gostosas) e tem comido muitas delas por dia, tem sido muito bacana encher o carrinho de frutas e verduras semanalmente.
O fato é que na minha prescrição está escrito "iogurte integral caseiro", já fiz iogurte muitas vezes, funciona fazer em casa e você sabe bem o que tem na garrafinha. Mas vamos falar a verdade? Fica líquido, sim, bem mais líquido que o que você encontra no supermercado. Tinha me conformado, ou espessante, ou iogurte natural, porém molinho.
Fui fuçar na internet na esperança de encontrar uma receita diferente para mais uma remessa de iogurte, e encontrei. Adivinha em que blog?! No La Cucinetta! Sim, a Ana Elisa e suas receitas precisas! A receita não é nova, e não é magra, mas acho que se enquadra em "iogurte integral caseiro", e eu como pouco, juro!

Mas o iogurte é realmente muito bom! Espesso, não tão ácido, macio... Batido com ameixa seca virou um creminho delicioso. É muito bom, faça!

A receita não é difícil, mas precisa de um pouco de dedicação. Eu farei novamente em 10 dias, mas farei metade da receita e conto aqui se funcionou dividir a receita, porque rende mooooito iogurte! Sério! Já fiz queijo, bolo, batido com ameixa, comi com geleia e ainda tem um montão! Vocês verão que as próximas receitas serão baseadas no tanto de iogurte que tem aqui em casa! Em defesa da receita tenho que dizer que tudo que fiz com esse iogurte caseiro ficou incrível. Então façam! Foi sem dúvida o melhor iogurte caseiro que já fiz.

Aqui o "potinho" que coube o leite com o creme de leite, antes de colocar o iogurte, e o arranjo com o copo para deixar o termômetro em pé. O termômetro digital pifou, usei o termômetro para doces, e terminei testando a temperatura com o dedo a mesmo.

Receita original aqui e descrita abaixo:

IOGURTE INTEGRAL DEFINITIVO

Ingredientes:
2,5l de leite integral
1 1/4 xic. creme de leite fresco
1 xic. iogurte integral natural (se usar o caseiro, tenha certeza de que está bem fresco, ou o resultado será viscoso)

Preparo:
Coloque o leite numa panela grande de inox e de fundo bem grosso (panela larga é melhor, para facilitar a evaporação). Leve à fervura, abaixe o fogo para o mínimo e mexa o tempo todo com uma colher, mantendo a fevrura branda e deixando que o leite evapore até reduzir 1/3 do seu volume inicial. (Você terá cerca de 1,6litros na panela.)
Desligue o fogo, derrame o leite numa tigela grande de cerâmica ou vidro e junte o creme de leite, mexendo até que esteja bem incorporado. Deixe esfriar até 46ºC ou até que você consiga manter seu dedo mergulhado no leite por no máximo 10 segundos.
Junte o iogurte e mexa bem para distribuí-lo. Cubra com um filme plástico, enrole a tigela numa toalha ou manta (ou coloque numa sacola térmica) e deixe por no mínimo 5 horas, ou durante a noite.
O iogurte terá uma camada firme e espessa por cima e uma camada mais cremosa por baixo, com um pouco de soro. Leve à geladeira e consuma em no máximo 10 dias.
Obs: se você costuma colocar o iogurte em uma garrafa ou pote estreito, NÃO faça isso com esse iogurte. Use uma tigela e mantenha seu iogurte nela, pois ele é realmente espesso e você não conseguirá tirá-lo da garrafa. :P

É realmente muito bom!

Com geleia de frutas vermelhas é sensacional

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Risoto Milanês


Dia desses me aventurei no risoto milanês.

Em 2015 visitamos a Espanha e eu trouxe de lá pistilos de açafrão lindos (criados com Toddy), queria usá-los em uma receita especial, como sempre. Aí que folheando a revista que vem na assinatura de vinho do Marido encontrei a receita de risoto milanês. Ela é bem simples, como as boas coisas da vida, mas como todo risoto pede um pouquinho só de dedicação e paciência! Vale a pena, te garanto!

Abaixo a receita completa, fiz metade dela porque na ocasião éramos só eu e Marido a jantar.


Risoto Milanês

2 xícaras (chá) de arroz arbóreo (carnaroli ou vialone nano)
3 e 1/2 xícaras (chá) de caldo de vegetais
2 colheres (sopa) de manteiga
3 colheres (sopa) de cebola picada
1 colher (chá) de pistilos de açafrão
1/2 taca de vinho branco
1/2 xícara (chá) de queijo parmesão ralado grosseiramente

Em uma panela aqueça o caldo de vegetais, coloque nele os pistilos de açafrão e mantenha em fogo baixo. Em outra panela derreta a manteiga e refogue nela a cebola e o arroz. Adicione o vinho, mexendo sempre. Aos poucos coloque conchas do caldo, sempre mexendo o risoto e esperando que a água seja um pouco absorvida a cada adição. Cozinhe por cerca de 20 minutos, mexendo e completando aos poucos com o caldo de vegetais, até os grãos de arroz ficarem macios e cremosos por fora e com miolo firme. Desligue o fogo, adicione o queijo parmesão e sirva imediatamente.

Por aqui também rolou um "bifinho", creio que o nome correto é tornedor, de filé selado e temperado com sal e pimenta do reino.

Foi lindo!

Algumas fotinhas de Sevilha, que ganhou nosso coração!


Receita da revista Wine.com.br - Nº69 - Ano 06 - Setembro/2015

Molho branco + gorgonzola + massa curta cozida + parmesão ralado + forno para gratinar + nozes picadas = melhor jantar dos últimos tempos!

Ah! Teve vinho também! ;)

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Feliz ano novo e Panna Cotta

Feliz ano novo!


O ano que passou foi tão animado, viagens, saúde abalada, dúvidas existenciais, mudança de planos... Tinha tanta coisa pra resolver, que mal dava tempo pra pensar.
E ao mesmo tempo o ano se arrastou e demorou uns 5 anos pra passar. Vivo me perguntando como isso é possível.

Vamos às atualizações (ou não), seguimos morando em Aracaju, minha cozinha segue vermelha, eu sigo sem carteira assinada, sigo tentando emagrecer... mas meus cabelos, quanta diferença (juro)!

Antes das festas encontrei creme de leite fresco de boa qualidade e com preço bom, mas como ia viajar, só comprei uma garrafinha. Ontem fui comprar mais e, no one, não tinha mais, nem pra remédio. :(
Achar creme de leite fresco de boa qualidade em Aracaju, sem ter que deixar um rim no estabelecimento comercial é realmente difícil, o bom é que tem mais gente que pensa como eu. Queria conhecê-los, frequentar suas casas, fazer jantares com eles... (devaneios).
Enquanto não encontro mais creme de leite (fiz uma lista de receitas para usá-lo), não podia desperdiçar meu tesouro, fiz então a sobremesa preferida do Marido (depois da mousse de chocolate); Panna Cotta.

Eu acho muito engraçado. Quando ele vê que fiz panna cotta fala só um "hum hum", quando come fala "c@r$lh&, isso é bom demais, é minha segunda sobremesa favorita!". Fala isso TODAS as vezes que faço, adoro! Me sinto o pai do Nemo tendo que lidar com a Dory! ;)

Então sem enrolação vamos à receita!

Começo com a geleia de morango que uso não só para a panna cotta, mas para o iogurte, sorvete, torradas, bolo...

Geleia de morango

400g de morangos limpos (lavados e sem os cabinhos)
200g de açúcar

Misturo os dois e levo para cozinhar em fogo brando até que a maior parte dos morangos esteja desfeita e tenha se formado uma calda pouco espessa, lembre-se que quando esfriar, a geleia ficará mais firme.

Enquanto a geleia cozinha, esterilizo os vidrinhos onde vou colocá-la. Para isso basta ferver potinhos e tampas por 10 minutos, em água que os cubra completamente. Depois tiro da água fervente e coloco em um pano de prato limpo para secar.

Encho os potinhos com a geleia quente, fecho e os viro de ponta cabeça. Deixo esfriar assim, e só depois que esfria, desviro e guardo no armário. Não sei dizer bem quanto dura, porque aqui em casa faço de pouquinho em pouquinho e a gente come logo, mas já fiquei 3 meses com o potinho no armário. Agora, quando abrir é geladeira e consumir em 7 dias, mas eu duvido que dure 7 dias!

Panna Cotta

Uso a receita da Ana Elisa que não tem erro, o link está aqui e a receita abaixo:


300g de creme de leite fresco
300g de leite integral
125g de açúcar
5-7g de gelatina em pó (a quantidade menor produz uma panna cotta mais macia, e a maior, uma mais firme; escolha a que quiser. Eu uso 7g)
1 colh. (chá) de essência de baunilha (eu uso uma fava de baunilha)


Preparo:
Aqueça o leite, o creme de leite e o açúcar (eu ponho a fava e as sementinhas que raspei) até que este tenha dissolvido. Não deixe ferver, ou o calor matará a capacidade de gelatinização da gelatina.
Enquanto isso, coloque a gelatina em água (25g ou 35g, de acordo com a quantidade da gelatina). Deixe que ela absorva toda a água.
Desligue o fogo, (eu passo a mistura por uma peneira para retirar a fava) jogue a gelatina dentro do creme e mexa até dissolver. Junte a baunilha (como usei a fava, pulo essa parte).
Distribua entre as forminhas, deixe esfriar e leve à geladeira até firmar. Na hora de servir, passe uma faquinha pelas laterais e desenforme, cobrindo com calda de caramelo, chocolate ou frutas vermelhas (aqui já deixo nos potinhos que vamos comer e só colocamos a geleia por cima :P).



P.S. Quase desistindo de fazer aquelas fotos sensacionais para colocar no bloguito, vai ter receita com as fotos que consigo fazer mesmo!