quarta-feira, 17 de março de 2010

Uruca


Desde o noivado que eu sumi, eu sei.

Mas ó, na boa, tô precisando que alguém bata umas folhinhas em mim.

Pouco antes do carnaval, bateram no meu carro no estacionamento do shopping. É, é isso mesmo (por favor não dêem a crise de riso que Namorado deu ao saber, ou pelo menos não façam isso na minha frente). E foi tão forte que o carro precisou ser rebocado e precisou trocar a porta e o páralama e o párachoque... e tudo isso no estacionamento do shopping.

Acionei o seguro, mandei o carro para a concessionária e me enchi de paciência, uma vez que moro em Salvador, e a batida ocorreu na terça antes do carnaval, e o seguro só foi fazer a vistoria na quarta, e só aprovou o serviço na sexta.
Sexta de carnaval? Esqueça! Só iam tocar no carro lá pra quinta de cinzas.
Depois do carnaval, outra vistoria precisou ser feita e o serviço só foi mesmo aprovado na segunda, depois do carnaval. Perceberam que já se passaram quase 2 semanas para o serviço começar a ser feito?

Ok o que não tem remédio, remediado está, e o carro ficaria pronto da 15/03. Tuuuudo isso??

"É dona é muito serviço."

Ok.

No último fim de semana viajamos à Recife. Eu e mamãe fomos visitar Tia Cila que estava dodói e rever os outros tios e tias que moram por lá. Aluguei um carro e passeamos lépidas e faceiras pela Veneza Brasileira, até que numa simples ida à farmácia, quando estávamos PARADAS no sinal, um bêbado bateu "di cum força" no fundo do carro alugado. Passado o susto, ninguém se machucou, lá vem o bêbado a me ameaçar para que eu não fizesse a ocorrência. Alguém merece?

Eu devo estar merecendo...

O bêbado fugiu.

Lá fui eu com mamãe e Tiago, meu primo fofo, fazer B.O. às 23h de sábado na delegacia.

Ok e pra frente é que se anda.

E vocês pensam que meu carro ficou pronto dia 15/03?

Que nada. Agora mesmo eu estou aqui, chorando minhas pitangas e esperando a ligação para eu ir buscar meu pretinho.

E o que essa história toda tem a ver com meu sumiço? É assim, além da chateação constante envolvendo abalroamentos veiculares, da sensação que ando com uma nuvenzinha preta na cabeça igual Cascão e do medo que ando do trânsito. Estou a pé.

Tá legal, eu vou trabalhar andando e as casas de mãe e Irmã ficam muito pertinho da minha.

Mas supermercado a pé no way. Me sinto como uma amiga que morava em um prédio que não tinha elevador, e não comia melancia de jeito nenhum, porque o coelho era quem subia carregando uma melancia, e não ela.

Namorado é o melhor do mundo, mas como ninguém é perfeito, ele não curte supermercado (eu adoro). De modos que tenho que subornar e oferecer favores (não pensem bobagens) para ele ir ao super comigo.

Sendo assim, tenho filado a bóia de mamãe, levado comida pronta pra casa e pedido delivery desde então.

Ando tristinha mesmo, sem muita vontade de encarar a cozinha.

Devemos voltar com a programação normal em breve, mas enquanto isso me ponham nas suas orações, please!

4 comentários:

Melina disse...

é lu, ta perigoso! isso é urucubaca com certeza! hahaha vou rezar por voce! haha beijao

Ju disse...

Ai Lu, tadinha!! Mas logo vai passar, viu? Eh so uma fase ruim.
Beijao!

Karla Maria disse...

Ai Lu,
confesso que dei uma boa risada, mas já tô na torcida pra que essa uruca passe logo.
Devolve essa oferenda pro mar, Lu.
Já pra praia tomar um banho.
rsrsrsr
Bj

O que vem no momento disse...

Não liga, isso já aconteceu comigo também!
Quando eu chegei no estacionamento do shopping, tinha um carro batido no meu, só que foi na frente do meu!